jul
23

Insatisfação com a carreira? Recomeçar é possível, mas exige cuidado coragem e planejamentos sensatos.

insatisfação

A falta de identificação com a área e a pouca correspondência entre a atividade desempenhada e os objetivos de vida são as principais queixas dos profissionais que decidem dar uma guinada na carreira . “É comum essas pessoas afirmarem que se sentem infelizes e desmotivadas por não gostar do que fazem ou não verem mais sentido no trabalho”,

O primeiro passo é identificar se esse desconforto é fruto do trabalho atual, por conta de colegas, chefe ou diretrizes da empresa, por exemplo, ou está ligado à área de atuação. Uma vez definido que o problema é realmente com a área de atuação e tomada a decisão de mudar de carreira, o profissional deve começar a estruturar um plano de ação com foco nos novos objetivos profissionais e na realidade em que ele pretende se inserir. Investimentos em cursos e salários mais baixos que os atuais no médio prazo são alguns fatores que precisam entrar nessa lista.

“Nessa fase de transição o mais importante é o planejamento, tanto financeiro quanto emocional e estratégico. Dessa forma o impacto da mudança pode ser minimizado”

No entanto, nem sempre o profissional insatisfeito consegue identificar sozinho qual o próximo passo a ser dado. Em casos assim, uma análise das competências pessoais e um levantamento de em quais áreas elas seriam melhor absorvidas é uma boa forma de começar o processo de descoberta de novas possíveis colocações. Também  podemos  buscar  ajuda de  um  profissional como; psicólogo vocacional ou  ate  mesmo de  um  psicoterapeuta para  clarear  nossas  decisões.   “Em momentos de transição de carreira, quanto mais realista for a avaliação da mudança, de seus impactos e da realidade do mercado, maiores as chances de as mudanças serem bem sucedidas”,

Uma vez formulado e  decidido o que  fazer é hora de pensar na qualificação necessária para conquistar uma nova colocação. O tempo e as  barreiras do novo percurso   vai depender do  seu objetivo a  ser  alcançado. Por vezes, uma pós-graduação em outra área  pode ajudar a resolver o problema, mas há casos em que o profissional precisa voltar para a faculdade. Então entra  uma  novo  paradigma, “Avaliar se o candidato está disposto a realizar esse esforço, para evitar mais frustração”,

Afinal mudar exige coragem e  consciência  da  realidade. Apesar dos riscos e dúvidas inerentes às mudanças, é possível dar um novo rumo à carreira a qualquer momento. Com cuidado, informação e planejamento é possível assegurar que a mudança será menos dolorosa e terá maiores chances de sucesso.

 

Encontre-nos no Google+ Sou o criador e editor do blog, e tenho como objetivo informar, esclarecer, ajudar, tirar duvidas, apresentar matérias relacionada as área de recursos humanos, psicologia organizacional.

Escrito por Flaudimir Andrade. postado em Psicologia organizacional, Recursos Humanos

Tags: , , ,

Leave a comment

Responda abaixo * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: