set
30

Gestores, Fiquem Atento a Alguns Fatores que Atrapalham Recém-Contratados

LEGAL

Normalmente, quem chega a uma organização traz consigo muitos planos para  conseguir  uma boa ascensão profissional e vencer desafios, afinal, estão dispostos a mostrar valor à empresa que acreditou em seu potencial. Contudo, nem sempre a realidade do talento recém-contratado corresponde ao que ele esperava,

e quando isso ocorre o profissional pode ficar “chocado” diante daquela realidade corporativa que passará a fazer parte do seu dia a dia. Abaixo, alguns fatores que preocupam os recém-contratados nas corporações:

  • Propaganda enganosa

O que foi dito da empresa no processo de seleção não corresponde à realidade que ele vivenciará na sua rotina de trabalho. Não são raros os casos assim. Por ter que realizar uma contratação imediata, alguns selecionadores “vendem” uma imagem utópica da empresa com a finalidade de encantar um talento e atraí-lo para o quadro da empresa.

  • Treinamento é supérfluo

Um funcionário chegou à empresa, então ele que “se vire para aprender sozinho”. A ausência, por exemplo, de um treinamento direcionado para que ele entenda melhor qual a importância do seu trabalho diante daquela realidade organizacional, torna-se um grande diferencial estratégico. Pessoas que compreendem o seu valor para a empresa são mais propensas a serem comprometidas com o negócio.

  • Integração é coisa do passado

É inconcebível esperar que um recém-chegado sinta-se ambientado à organização apenas porque foi contratado. Ele precisará, mesmo que por curto espaço de tempo, apoio para se ambientar com sua nova realidade e uma ação de integração sempre será bem-vinda.

  • Chefias autoritárias

Quando um talento ingressa na organização, pode deparar-se com um líder ríspido que só sabe delegar tarefas de forma arbitrária. No mínimo, ele se sentirá “pisando em ovos” e não terá espaço para demonstrar seu valor. Logo no começo, o profissional será podado do seu potencial de entrega.

  • Clima organizacional pesado

O clima organizacional influencia diretamente o comportamento de qualquer profissional seja ele recém-contratado ou não. Vivenciar um ambiente de trabalho saudável impacta nos índices de absenteísmo, turn-over, produtividade, entre outros fatores que são uma constante preocupação para os dirigentes organizacionais.

  • Grupos e não equipes

O colaborador que ingressa numa organização logo identificará se aquelas pessoas que agora fazem parte do seu dia a dia formam apenas um grupo ou um time que vale à pena vestir a camisa. Na primeira alternativa ele será apenas mais um número; já na outra, o colaborador poderá dar o melhor de si e sentirá orgulho de fazer parte de uma equipe onde o somatório de cada atividade integra o todo.

  • Infra-instrutora

Um dos fatores que influencia negativamente a imagem da empresa diante daqueles que chegam à organização é a falta de infra-instrutora adequada para a realização das atividades laborais. Não se pode esperar que um profissional ultrapasse as expectativas do negócio, se ao invés de equipamentos adequados, a empresa oferece apenas recursos ultrapassados.

  • Atribuições não pertinentes

É fundamental que durante o processo de seleção, o candidato saiba quais serão as atribuições que ficarão sob sua responsabilidade. Isso porque, ao ingressar na empresa, logo no início ele pode se decepcionar com a empresa por ter recebido uma atividade que acredite não ser pertinente à sua função. Deixar esse tipo de lacuna em relação às futuras atividades do talento poderá resultar em um desligamento em curto espaço de tempo. Nesse caso, perde o profissional e a empresa.

  • Falta de comunicação interna

Um talento que ingressa em uma organização que não possui uma comunicação interna eficaz, se sentirá como em uma ilha isolada. Ele deixará de ter um norte a seguir, não conseguirá assimilar a cultura da empresa e se tornará vulnerável aos boatos, ou seja, as informações não oficiais que circulam pelos corredores da companhia.

  • Onde está o RH?

A área de Recursos Humanos possui um papel fundamental para garantir que o recém-chegado sinta-se respaldado em um ambiente estranho. Ao receber o novo talento, é indispensável que o RH mostre-se disposto a manter as portas abertas. Afinal, em momentos de dúvidas o recém-contratado terá um referencial seguro para se apoiar. Contudo, se o RH não está disposto a estreitar o relacionamento com o colaborador, seja ele novato ou não, mostrará que a gestão de pessoas daquela empresa só serve mesmo para enriquecer os discursos que marcam os momentos comemorativos da organização.

Empresários e Gestores, se em sua  empresa esta tendo alguns destes problemas, é hora de repensar a política organizacional da empresa e  de  seus  profissionais.

 

Fonte:   Portal Carreira & Sucesso 

Encontre-nos no Google+ Sou o criador e editor do blog, e tenho como objetivo informar, esclarecer, ajudar, tirar duvidas, apresentar matérias relacionada as área de recursos humanos, psicologia organizacional.

Escrito por Flaudimir Andrade. postado em Psicologia organizacional, Recursos Humanos

Tags: , , , ,

Trackback from your site.

Leave a comment

Responda abaixo * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: