fev
19

Dinâmicas: quais suas vantagens em processo de seleção e treinamentos

DinamicasQuando identificada a necessidade da aplicação de um treinamento, ou realização de um processo de seleção, buscamos sempre identificar as melhores práticas no intuito de obter êxito no resultado. Então, na preparação destas ações é comum surgirem alguns questionamentos, como: O que fazer para alcançar a eficácia? Que método usar? Como conduzir os respectivos procedimentos?

A Dinâmica de Grupo é uma excelente ferramenta de avaliação.

Quando usada de forma correta, dando o valor merecido a mesma, ela pode colaborar na decisão para escolha de um líder, ou um representante de grupo; ajudar a descobrir quem demonstra maior facilidade com determinada tarefa; perceber qual o nível de concentração do profissional; identificar qual o mais comunicativo, mais firme, decisivo, intuitivo, criativo; avaliar a postura do participante, qual o mais iniciativo (toma  frente  das coisas e resolve), ou o mais tranquilo, ou aquele que deixa  tudo  para que os outros resolva; qual o nível de dispersão, lentidão, falta de concentração; entre  tantos  outros  comportamentos positivos  ou  negativos, dependendo da função. Ela também pode servir apenas para um ‘quebra gelo’ no inicio de um processo, seja seletivo ou de treinamento, como para apresentação dos candidatos, para saber um pouco mais sobre eles, ou ainda para dispersar o cansaço em treinamentos, etc.

Mas, como aplicar e avaliar as mesmas?

Bom, para isto, é necessário ampliar continuamente o conhecimento a respeito. A partir do objetivo traçado para determinado processo, deve-se atentar na avaliação proposta e, sobretudo,  na escolha da melhor dinâmica a aplicar, observando minuciosamente cada detalhe. Caso contrário a mesma não passará de uma brincadeira e ocupará o tempo que poderia ser dedicado a outras atividades também importantes nestes processos.

O gestor que decidir trabalhar com dinâmicas deve si preparar antes, não apenas encontrá-las em internet ou livros e aplicá-las, ele deve aprofundar seus conhecimentos técnicos para tal. É preciso entender a respeito dos comportamentos humanos; saber avaliar os sinais que o corpo nos mostra durante o procedimento; conseguir (sem ‘achismos’) identificar quando o participante está mentindo; reconhecer quando o profissional não sabe algo por estar nervoso e não por desconhecer o que está fazendo/dizendo; acalmar e preparar os participantes, para que possam demostrar todo seu potencial; e, o principal, transparecer segurança, calma, tranquilidade, sabedoria, e confiança, aos participantes.

Como destacamos inicialmente, outra decisão importante é saber escolher bem a dinâmica que será aplicada, como ela pode colaborar na avaliação e também se condiz com o objetivo do processo. Por diversas vezes a dinâmica pode avaliar além do que almejávamos e, por este motivo, se torna imprescindível conhecermos bem todos os procedimentos e delimitar os pontos chaves da avaliação. Ao final, mesmo conduzindo a dinâmica com o direcionamento pré-estabelecido, você poderá perceber que extraiu dados acima do esperado. E, se for um aplicador preparado, saberá ministrar estas informações para o momento oportuno de cada candidato e também a favor da organização.

Em exemplo prático, se hoje você buscasse um líder, porém, além de identificar o candidato que se adequa a esta posição durante a aplicação da dinâmica também fora possível identificar perfis criativos ou comunicativos acima da media, esta informação pode atender a tomada de decisões em outros processos e assim reduzir tempo/custo na aplicação de novas atividades.

Seja um procedimento simples ou mais elaborado, além de toda a preparação e percepção citada anteriormente, para que você possa ser um(a) aplicador(a) preparado(a) e um(a) ótimo(a) avaliador(a) saiba sempre respeitar o limite das pessoas que estão participando, peça respeito aos participantes sempre que necessário, e lembre que você também deve dispor dele frente as dinâmicas.

Por fim, destacamos algo também importante e que jamais se deve esquecer: Dinâmica não é brincadeira! Ela exige a busca continua por inovações, atualizações, e segurança nos trabalhos propostos.

Agora  se você quer se tornar  um Gestor de dinâmicas click no  Link  abaixo.

images (2)

Encontre-nos no Google+ Sou o criador e editor do blog, e tenho como objetivo informar, esclarecer, ajudar, tirar duvidas, apresentar matérias relacionada as área de recursos humanos, psicologia organizacional.

Escrito por Flaudimir Andrade. postado em Psicologia organizacional, Recursos Humanos

Tags: , , ,

Trackback from your site.

Leave a comment

Responda abaixo * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: