out
28

Difícil Sim, mas não Impossível: Aprenda a Trabalhar com Quem não Gosta.

dificil

Os seres humanos são orientados a viver bem e serem aceitos na sociedade desde o dia em que nascem. Essa atitude provém do contato quase que cotidiano com diversas pessoas: parentes, colegas, amigos, professores, etc. No entanto, o convívio social também não é tarefa fácil, muitas vezes temos que “suportar” pessoas com as quais não temos nenhum tipo de afinidade. Pior do que isso é quando a rixa pessoal é confrontada numa situação de âmbito profissional.

É muito comum haver brigas e discussões entre colegas de trabalho, porém, é mais comum ainda essas desavenças partirem de profissionais que não têm nenhum tipo de relação amigável e realmente alimentam ódio entre si. Casos de demissão por justa causa onde os funcionários saíram ‘no tapa’ por questões que nada tiveram a ver com o trabalho tem se tornado cada dia mais freqüente.

É necessário ter cautela ao definir o que faz, com que determinada pessoa seja vista como um desafeto e não deixar que isso atrapalhe o desempenho das funções profissionais. Estas dicas indicadas abaixo podem ajudar a fazer o problema desaparecer:

  • Reformule sua perspectiva

Um bom exercício é treinar para se concentrar nas boas qualidades que essa pessoa possui. Este ato de valorização pode levá-lo a perceber quando ela está sendo agradável e ajudá-lo a ignorá-la quando for desagradável. Tente mentalmente fazer uma lista de todas as coisas boas que ela faz e intencionalmente notar essas coisas durante o dia.

  • Não demonstre seu desafeto

Existe alguma maneira de ignorar ou evitar a pessoa que está fazendo mal? Fingir que não é afetado pelo comportamento ruim pode ser uma boa atitude para cessá-lo, especialmente se ele está agindo de maneira que é intencionalmente destinada a ferir você.

  • Não tenha medo de dizer o que está errado

Confrontar a pessoa que não gosta e dizer o que exatamente o incomoda nela, pode fazê-la repensar a forma como age. Na maioria das vezes, as pessoas são completamente alheias à como o seu comportamento atinge os demais, e trazer isso a tona pode ser o incentivo pra elas mudarem suas ações. Tente conectar-se com a pessoa para desenvolver uma relação mais próxima. Às vezes, conhecer alguém um pouco melhor e estender a mão em sinal de amizade pode fazer a pessoa começar a abrir caminho para você.

  • Seja rude

Há ocasiões em que a única maneira de conseguir que alguém perceba o que está errado é sendo grosseiro. Tenha cuidado, no entanto, porque se o problema acabar tendo que ir a uma autoridade superior, é importante que a pessoa não tenha qualquer munição contra você. Se o profissional tentar essa abordagem, ele tem que deixar claro o porquê disso. Por exemplo, “Eu critiquei sua idéia na reunião, porque é assim que você sempre faz comigo”. “Se não gostou de como se sentiu, talvez não devesse fazer isso com os outros”.

  • Denuncie como último recurso

Ninguém quer ser rotulado de “fofoqueiro”, mas algumas situações são simplesmente impossíveis de se conviver. Se todas as alternativas de empatia falhar, uma intervenção é necessária para cessar o comportamento, caso ele realmente esteja prejudicando o ambiente profissional. Tenha uma conversa com seu superior direto, use argumentos para explicar como o desafeto com tal profissional está afetando seu desempenho, e conseqüentemente, a organização. Um mau relacionamento entre pessoas da mesma equipe pode reduzir o pensamento criativo, a produtividade e a moral da equipe em relação às demais, esses motivos são suficientes para o gestor intervir.

Fonte: Portal Carreira & Sucesso

Encontre-nos no Google+ Sou o criador e editor do blog, e tenho como objetivo informar, esclarecer, ajudar, tirar duvidas, apresentar matérias relacionada as área de recursos humanos, psicologia organizacional.

Escrito por Flaudimir Andrade. postado em Psicologia organizacional, Recursos Humanos

Tags: , , ,

Trackback from your site.

Comments (1)

Leave a comment

Responda abaixo * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

%d blogueiros gostam disto: